Lifelong learning: conheça seu significado

Aprender ao longo da vida para desenvolvimento contínuo e oportunidades constantes.

Práticas Pedagógicas
23/12/2023
Por: Conteúdo Santillana Educacão
Compartilhar:
Gestora escola com a mão levantada durante uma palestra.

“Aprender não é um ato findo. Aprender é um exercício constante de renovação”, disse Paulo Freire, educador e filósofo brasileiro dos mais importantes do mundo. E é com esse pensamento que iniciamos o texto de hoje sobre um tema muito interessante: o lifelong learning. Apesar de ser um termo pouco conhecido entre os brasileiros, muitos de nós já praticamos esse conceito ou pretendemos exercê-lo algum dia. Mas, afinal, do que estamos falando ao tratar de lifelong learning?  

Vamos do começo! Lifelong learning é um termo em inglês que significa “aprendizado ao longo da vida”, ou seja, a capacidade de continuar se desenvolvendo e aprimorando os conhecimentos mesmo após finalizar grandes marcos da vida estudantil, como a alfabetização, o Ensino Médio e a graduação. Essa ideia está muito presente no mercado de trabalho! Afinal, sempre escutamos que para se destacar é necessário estar sempre atualizado e renovando nossas habilidades por meio de estudos constantes.  

Sendo assim, a educação em sua perspectiva continuada tem como objetivo principal expandir o aprendizado em qualquer momento da vida, sendo uma possibilidade que devemos abraçar individualmente, tendo em vista nossas particularidades e nossos objetivos. É como se todos tivéssemos uma bicicleta que pode ser usada por cada um para cumprir a trajetória que mais tem a ver com a sua história.  

Ainda que estejamos falando de algo que deve ser levado à prática de maneira individual, incentivos nunca são demais, não é mesmo? Pensando nisso, muitas organizações oferecem estímulos para que seus colaboradores busquem por cursos, palestras e novas formações. Com isso, todos são beneficiados: a empresa passa a ter talentos mais qualificados e cada indivíduo tem a oportunidade de seguir em sua jornada de aprendizado.  

Gostou do que leu até aqui? Então, olha que legal: o lifelong learning vai muito além de somente incentivar o ensino contínuo, ele é capaz de:  

  • Desenvolver novas habilidades 
  • Estimular a criatividade 
  • Introduzir novas tecnologias à vida de seus praticantes 
  • Abrir portas para novas oportunidades 

E para que todos esses benefícios sejam alcançados, a  Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ), organização que representa o conceito em todo o mundo, apresentou 4 pilares essenciais:  

APRENDER A CONHECER 

De fato, decorar um determinado conteúdo não é o melhor caminho/ Apesar de ser uma técnica milenar, grande parte dos estudos que têm essa finalidade é esquecido com o passar do tempo. Pensando nisso, este pilar incentiva a curiosidade e a reflexão, estimulando os estudantes a terem prazer pelo momento de se desenvolver e mergulhar, de fato, no conteúdo, gerando uma absorção muito maior do assunto abordado.  

APRENDER A FAZER 

Que tal tirar o conceito do papel e colocá-lo em prática? É exatamente isso que este pilar propõe. Baseando-se em uma metodologia desenvolvida em 1990, chamada 70:20:10, o conhecimento é dividido em três fases: 10% é adquirido por meio de cursos, 20% é resultado da interação com outras pessoas e 70% vem de experiências próprias. Ou seja, para que o desenvolvimento seja completo, é necessário atuar e vivenciar, ao máximo, o conteúdo estudado.  

APRENDER A CONVIVER 

Como falamos no último pilar, 20% do conhecimento é proveniente da interação com outros indivíduos. Desta maneira, as relações pessoais surgem como fontes riquíssimas para trocas de experiências e, consequentemente, geração de conhecimento que chega para ficar.  

APRENDER A SER 

O último pilar aborda a autonomia de cada indivíduo, ou melhor, indica que cada pessoa é responsável por seu desenvolvimento e por suas ações. Faz sentido, não é mesmo?  

Agora que você já sabe o que é o lifelong learning e todas as suas vantagens, que tal colocar em prática?