O Chat GPT vem para repensarmos a forma como ensinamos

Confira como a Inteligência Artificial e o ChatGPT estão revolucionando a educação e o ensino-aprendizagem.

Inovação e Tecnologia
30/12/2023
Por: Conteúdo Santillana Educacão
Compartilhar:
Professora dentro da sala de aula sorrindo.

“Inteligência Artificial” e “ChatGPT” são dois termos que têm sido muito procurados, debatidos e explorados pelas mais diversos perfis de pessoas. Tanto que, vira e mexe, aparecem em notícias, são discutidos pelos profissionais de áreas específicas e já há muita especulação dos impactos dessas novidades em nossa sociedade. Aqueles que estão envolvidos no mundo da tecnologia e dos negócios certamente se preocupam com aspectos sociais e econômicos que estas ferramentas trazem como novidade, isto é, desejam se aprofundar e entender as possibilidades da forma em que o comportamento das pessoas será transformado e, assim, influenciar nos mais diversos âmbitos da nossa vida. 

Nesse sentido, comportamental, uma área que vem sendo bastante impactada pelas novas tecnologias é a Educação. Estas novidades estão transformando desde a forma em que consumimos informações e produtos e, até mesmo, como nos relacionamos com a aquisição do saber: nunca foi tão rápido e fácil receber uma resposta elaborada para qualquer pergunta ou dúvida, sobre qualquer assunto. Assim, pensar sobre como a Educação está sendo transformada é urgente e necessário.  

O objetivo de hoje será explorar como o ChatGPT chegou e precisamos repensar a forma em que nos relacionamos com os processos de ensino-aprendizagem.

Em resumo, o ChatGPT é uma tecnologia bastante sofisticada e que consegue se comunicar com os humanos por meio de uma ferramenta de chat. Ou seja, podemos digitar perguntas, pedir explicações e comparações e a plataforma responde instantaneamente, como em uma conversa em tempo real. Trata-se de uma inteligência artificial baseada em um banco de dados imensa, composta por textos disponíveis na internet, livros, artigos acadêmicos, conversas de bate-papo, entre outros. Ao utilizar técnicas de aprendizado profundo, o ChatGPT reconhece padrões nos dados, gerando textos em linguagem natural, coerente e relevante para o contexto proposto pelo usuário. 

Pode parecer complexo, mas para o ser humano do outro lado da tela é algo muito simples: basta ter acesso à internet, navegar pela plataforma gratuitamente e realizar o comando por meio de uma caixa de texto: em questão de segundos a resposta aparece, automaticamente. Esta facilidade em conseguir informações e respostas se mostrou muito interessante e útil para as pessoas, pois em cinco dias o sistema atingiu a marca de 1 milhão de usuários – para se ter uma base de comparação, o Instagram precisou de dois meses para chegar nessa quantidade de membros. 

Tecnologia que transforma a vida escolar 

Dentre esta marca de um milhão de usuários do ChatGPT estão inseridos os estudantes, que facilmente perceberam que esta tecnologia poderia auxiliá-los em diversas demandas e, então, começaram a utilizar a plataforma para favorecer o processo de estudos e a realização de tarefas.  

Este contexto deu luz para o cenário de como o ensino está nos dias de hoje: as crianças e os jovens não aprendem mais da maneira que aprendíamos já que a relação destas gerações com a tecnologia e com as telas é diferente, especialmente pelo fato de estarmos considerando indivíduos que nasceram imersos na Era Digital! 

Sendo assim, o grande desafio das escolas e dos professores é incorporar as tecnologias e a inteligência artificial nos processos de ensino-aprendizagem com o objetivo de melhorar, cada vez mais, as práticas pedagógicas, contribuir para uma experiência escolar significativa e, portanto, formar estudantes que estejam preparados e integrados com a forma em que o mundo vem se apresentando. 

Atualmente, nas escolas, as plataformas e os softwares já estão sendo utilizados não só nos anos finais da formação escolar, mas, também, nos anos iniciais. O processo de alfabetização e letramento é um bom exemplo.  Podemos falar da Lexia, uma tecnologia digital que contribui com a aprendizagem da leitura de forma eficiente e individualizada. Também há o Khan Academy, uma plataforma online com recursos de aprendizado gratuitos e o Scratch, um website que ensina crianças a iniciarem seu contato com a linguagem de programação. Em todos esses casos, os estudantes têm a possibilidade de realizar tarefas e atividades de forma bastante autônoma. 

É importante lembrar que o acompanhamento e a presença dos professores são indispensáveis! Os educadores são fundamentais neste processo de aprendizagem e devem monitorar constantemente o progresso do aluno, ajustando instruções e explicações, lançando desafios, estimulando e motivando os estudantes, conforme o necessário. 

O ChatGPT e a Educação 

Quando falamos em ChatGPT, sua utilização ainda está sendo recebida de forma bastante receosa por muitas escolas e professores, principalmente por não ser uma ferramenta voltada exclusivamente para o ensino. No entanto, devemos refletir sobre esta postura, pois é possível notar que para os estudantes que adquiriram o letramento digital de forma mais instintiva e natural do que para as pessoas de gerações anteriores, conhecer, acessar e utilizar a inteligência artificial é algo comum e diário, e até mesmo possuem conhecimento avançado nas tecnologias digitais. No Ensino Superior, por exemplo, é comum observar até mesmo estudantes que desenvolvem os seus próprios sistemas de inteligência artificial para fazer o processo de aprendizagem mais eficiente.  

Nesse sentido, o papel do professor em todas as etapas de ensino é o de refletir sobre os processos de ensino-aprendizagem como um todo, voltando seu olhar para práticas que coloquem os estudantes como protagonistas da aprendizagem de forma interdisciplinar e integrada. É fundamental também que a práxis pedagógica esteja baseada em resolução de problemas da vida real, para que os alunos se sintam motivados e engajados com os conteúdos. Diante desses aspectos, saber utilizar o ChatGPT de forma a contribuir com os processos de ensino-aprendizagem e estimular o pensamento crítico é um dos grandes desafios a serem enfrentados pelos professores. 

Muitos estudantes perceberam que o ChatGPT pode contribuir para que algumas etapas sejam cumpridas de forma mais direta, podendo até mesmo suprimi-las. Para ilustrar esse caso, podemos pensar em uma calculadora: com ela fica muito mais fácil saber o resultado de uma operação, não é mesmo? Embora o resultado seja importante, o papel do professor de matemática não quer apenas saber se a resposta de um problema matemático está correta, mas verificar se o estudante soube manipular o conhecimento, compreender o processo de raciocínio para assim elaborar a resposta com o resultado.   

Assim, o ensino que não descarta o ChatGPT, mas o integra à educação deve ser pensado a partir do “como”: o importante não é se chegar em uma resolução final, mas o caminho deve ser acompanhado e questionado. Em outras palavras, o professor deve não apenas voltar esforços para avaliar um trabalho final, mas em estar atento e compreender como os alunos conseguiram chegar neste trabalho final. 

Como o ChatGPT entrega textos inteiros, coerentes e coesos, uma sugestão de prática que o professor pode inserir no sentido de verificar o processo é alterar a dinâmica: em vez de o estudante entregar um texto, ele deverá, a partir de um texto gerado pela IA, melhorar, ou o complementar o conteúdo.  

Outra forma que o Chat GPT pode ser é lançar desafios: como os textos são gerados a partir de outros textos já escritos, a ferramenta pode gerar respostas que não estão corretas, então a prática pode ser instigar os estudantes para revisar o que foi escrito pela inteligência artificial e identificar possíveis equívocos. 

Sabemos que a tecnologia não irá desaparecer de nossas vidas e que a nossa sociedade já está mergulhada neste universo repleto de inteligência artificial, telas e do mundo digital. Cabe a nós, portanto, compreendê-la a fundo para podermos identificar as oportunidades e direcioná-las para a formação dos estudantes. 

Com uma educação adaptada ao momento presente e voltada para o futuro, a esperança é formar pessoas conscientes dos impactos que elas podem gerar nos outros e no mundo: as próximas gerações que serão responsáveis pelo mundo da tecnologia, dos negócios e da educação dependem de nós. Fica o convite para estarmos atualizados e abertos às novidades, pois elas não param de chegar!